Alimentação na infância: Seu filho é reflexo dos seus hábitos

Alimentação na infância: seu filho é reflexo dos seus hábitos

Na maternidade, muitos dos nossos sonhos começam quando eles ainda estão no nosso ventre. Planejamos e, muitas vezes, idealizamos coisas que se chocam com uma realidade que nos frustra. Mas, no fim das contas, qual a mãe não quer o melhor para seu filho?

Com a alimentação da minha filha isso também ocorreu. Sempre planejei e idealizei uma alimentação impecável desde que ela estava no meu ventre. Apenas posso dizer que fiz o melhor que pude até agora. Entre erros e acertos e muitas frustrações.

A alimentação dela era impecável. Nada de alimentos industrializados ou processados. Apenas frutas, legumes, cereais e carnes ou peixe. Foi assim até seu primeiro dia de aula…Ela tinha 1 ano e 2 meses.

Eu planejei ajuda-la na adaptação. Iria acompanha-la nos seus primeiros dias de aula. Logo na hora do lanche, havia uma amiguinha comendo biscoito recheado…logo ao seu lado. Foi então que, sem que eu pudesse fazer nada, ela, rapidamente, “roubou” um dos biscoitos.

Entrei em choque mas deixei ela comer. Mesmo contra a minha vontade, contra tudo o que tinha planejado e idealizado. Foi então que resolvi pensar sobre o que realmente seria melhor para ela.

Sempre pensei que, o melhor para ela, seria uma alimentação saudável, com comida de verdade e com menos industrializado possível. Mas isso seria realmente necessário? Seria possível? O que seria melhor para saúde, bem estar e felicidade dela?

Além disso, se eu não sou assim 100% do tempo, por que ela deveria ser?

Não gostaria que ela fosse a uma festa infantil e ficasse o tempo todo ao lado da mesa de doces, comendo como se fosse a única oportunidade de comer guloseimas. Gostaria que ela se preocupasse em se divertir, brincar e que as guloseimas não representassem para ela nada além do que realmente são.

O que é melhor para ela é ter equilíbrio. Sem planos rígidos ou restrições irreais.

Com a rotina escolar e crescente socialização, fizemos alguns ajustes para buscar esse equilíbrio.

No dia a dia, continuo oferecendo muita comida de verdade, lanches saudáveis e pouquíssimos industrializados. É assim que tentamos nos alimentamos em casa. Isso que ela vê em casa. Não comemos na frente dela aquilo que não gostaríamos que ela comesse.

Ah, e quando ela quer chocolate, ou “atate”? Eu logo pergunto qual ela quer, vamos juntas comprar, e deixo ela escolher. É assim com tudo: pão de queijo, com o brigadeiro e com a batata frita. Lembrando que são exceções, não fazem parte do nosso dia a dia. Ela sabe que não temos em casa o tempo todo.

Alimentação na infância:
Se quisermos que nossos filhos tenham hábitos alimentares saudáveis, devemos cultivar esses hábitos saudáveis. E ensina-los a fazer as melhores escolhas.

Alimentação na infância

Alimentação na infância

Acredito que quanto antes vivenciamos essa educação alimentar, mais fácil corrigir maus hábitos. Mesmo assim, sempre há tempo para pequenas mudanças na alimentação familiar, que podem mudar os hábitos alimentares do seu filho.

Como educadora física, personal trainer e coach, minha vida é cuidar da saúde dos meus clientes. Com isso, também espero poder contribuir para o bem estar e pela saúde de muita gente.

Daniele Bina, 34 anos. Mãe da Dana 2 anos e 11 meses e José de 5 meses.
Instagran @gravidezpaleo

Atua como Personal Trainer, com mais de 15 anos de experiência.
Formada em educação física pela FEFISO. Pós graduada em musculação e condicionamento físico pela FMU. Graduada em Pilates pela Sttot Pilates e em dor crônica pela CEDM.

Imagens: Shoestock