Como anda a segurança na sua casa?

Como anda a segurança na sua casa?

Você sabia que…

“Os acidentes, ou lesões não-intencionais, representam a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil. No total, cerca de 4,7 mil crianças morrem e 125 mil são hospitalizadas anualmente, segundo dados do Ministério da Saúde, configurando-se como uma séria questão de saúde pública.

Estimativas mostram que a cada morte, outras quatro crianças ficam com sequelas permanentes que irá gerar, provavelmente, consequências emocionais, sociais e financeiras à essa família e à sociedade. De acordo com o governo brasileiro, cerca de R$ 63 milhões são gastos na rede do SUS – Sistema Único de Saúde.” Fonte Criança Segura

Bom mas podemos reverter esse número, se cada um de nós estivermos mais atentos aos pequenos detalhes e adaptações no ambiente conforme o crescimento da criança. Como anda a segurança na sua casa?
Maior parte dos depoimentos de mães, pais e cuidadores dizem que foi coisa de um “piscar de olhos”, pois bem, é assim mesmo que acontece em fração de segundos casos que levam a morte.

A semana passada participei de um evento Criança Segura Ariel, onde teve a presença do Dr. Antony Wong, pediatra e toxicologista e membro de Centro de Assistência Toxicológica do Instituto da Criança do Hospital das Clinicas, e a Dra Simone de Campos Vieira Abib, médica cirurgiã pediátrica e presidente da ONG Criança Segura. 
Um bate papo cheio de informações e dicas preciosas para todos que cuidam de uma criança.

Dra Simone foi bem certa e objetiva em dizer ” Temos que mudar o conceito de que comigo não acontece, que acidente é algo imponderável, que aconteceu porque Deus quis”. Acidentes podem sim acontecer com qualquer um, e cabe nós adultos promover um ambiente seguro para que a criança explore sua curiosidade.
Ela citou exemplos básicos como:

  • o uso da cadeirinha no carro, “a criança deve ir sentada e ponto, não cabe a ela decidir se sim ou não”.
  • e colocar o dedo na tomada. Precisa ensinar a criança que não pode, as consequências de um choque elétrico são gravíssimas: morre ou perde um membro sem contar com a sequela neurológica.
Importante, necessário e obrigatório o uso : da cadeirinha no carro com sinto na criança de forma correta e protetores nas tomadas. Não vale vivenciar o sofrimento depois, uma vez que as atitudes estão em nossas mãos.
 
“Limite para criança é igual a amor, ela precisa de limite, complementou Dra Simone”
 
Cerca de 6 mil crianças morrem anualmente no Brasil por acidentes. A primeira causa morte por acidente é “acidente de transporte” (atropelamento, acidentes de carro ou bicicleta) e a segunda é por afogamento.
As principais causas de acidentes sem morte mas com internação são quedasintoxicação e queimaduras.
 
No caso da queda, é importante observar alguns aspectos para ser avaliado a gravidade da situação.
  1. a criança perdeu a consciência imediatamente?
  2. a criança esta falando ou não?
  3. a criança esta pálida ou não?
  4. a criança respira ou não?
  5. olhe dentro dos olhos, esta fixando o olhar?  a pupila está normal?

É importante tentar manter a calma nesse momento e que os responsáveis observem esses aspectos e chamem o resgate imediatamente em casos graves, e continuem observando as reações da criança, informe a quantidade de pessoas feridas, forneça o endereço com um ponto de referência. Pequenas atitudes que podem agilizar o atendimento.

E o Dr  Anthony Wong disse que acidente é 100% evitável. Tudo começa com um exercício para os pais, agachar no chão até a altura dos olhos da criança e olhar para cima, verá um mundo completamente diferente e pode refletir sobre os perigos dentro de casa.
” A criança aprende pelo exemplo e pela repetição, não adianta gritar ou dar sermão, complementou Dr Anthony”
 
Não basta apenas proteger sua casa, já que a criança frequenta outros ambientes. O ideal é sempre ensinar o que pode ou não fazer é essencial. Muitas vezes o perigo não esta em sua casa como por exemplo uma piscina, mas pode ter na casa do vizinho, amiguinho ou parente.
Natação é excelente, mas vai de acordo com a idade:
  1. não colocar na aula de natação antes de 3 meses de idade,
  2. de 3 a 6 meses a criança usufrui muito pouco,
  3. e de 6 meses a um ano é muito bom colocar na natação porque a criança tem o chamado “reflexo golfinho”, que fecha a gote automaticamente para não engolir água.

Agora tome nota de alguns cuidados espalhados pela casa:

Cozinha
  • de preferencia que a criança não entre na cozinha se o fogão ou forno estiver ligados. Sabemos que nem sempre isso é possível. Muitas vezes a mãe esta cozinhando e a criança brincando por perto. Atente-se, o cabo da panela deve estar sempre virado para parede e não para fora do fogão;
  • não deixe produtos de limpeza embaixo da pia;
  • não deixe cadeira perto da pia, a criança pode subir
  • muita atenção ao excesso de eletrodomésticos como ventilador, liquidificador, batedeira, processador;
  • objetos pontiagudos como facas, tesouras devem ficar trancados;
  • cuidado com a porta do forno, ela é leve e a criança pode abrir com força ou até mesmo se apoiar para levantar, e o que esta dentro pode cair sobre ela, use trava especifica para forno;
  • cuidado com bule, xícara de café quente, se acriança puxar a toalha ou até mesmo bater a mão pode cair o liquido quente sobre ela;
  • cuidado com vazamento de gás, faça manutenção periódica .
Quarto
  • evite cobertas, muitas almofadas, protetores de berço e travesseiros que podem sufocar a criança pequena;
  • grades de berços devem seguir a certificação do Inmetro;
  • instale grades nas janelas, portões de proteção nas escadas;
  • jamais deixe a criança dormir na sua cama, qualquer que seja a idade, pois são grandes as chances de morte súbita;
  • guarde cosméticos, grampinhos, remédios em locais trancados;  
  • cuidado com o uso de água na bacia para aumentar a umidade, de preferencia coloque em um lugar alto, onde a criança não tenha muito acesso;
  • repelentes elétricos  colocar sempre perto da porta evitando que o mosquito entre, não perto do berço ou cama, pode causar alergia;
  • use protetores de porta, evite que a criança não prenda os dedos.
Banheiro
  • não use como banco e nem deixe a criança subir no vaso sanitário, ele pode quebrar e cortar, além de sempre manter ele com tampa e com trava para evitar afogamento;
  • não deixe o bebê/criança tomando banho sozinho na banheira ou brincando em bacias ( no verão ), ele pode se afogar ou cair da banheira;
  • verifique a temperatura da água antes de colocar o bebê na água, utilize tapete antiderrapante no box;
  • mantenha aparelho de barbear, cosméticos nua altura de 1,5 de altura;

Brinquedos 

  • não use andador, pois tem alto índice de acidentes;
  • bicicleta, patinete, patins e skate necessitam de  equipamentos de segurança e proteção como: capacete, joelheira, cotoveleira
  • bolinha de sabão não é toxico, mas é bom sempre um adulto por perto, previne a criança de ingerir o liquido;
  • pilhas e baterias de brinquedos, devemos estar atentos, caso a criança ingerir, levar imediatamente ao pronto socorro.
Área externa
  • atenção a churrasqueira, álcool e espetos de churrasco;
  • evite agrotóxicos nas plantas, as ferramentas como rastelo e pá;
  • mangueira pode provocar afogamento ou enforcamento;
  • cuidados com piscinas, 90% dos afogamentos são de água doce, ocorrem em piscinas e banheiras;
  • ensine a criança a respeitar os animais, não mexer com eles enquanto se alimentam;

Área de serviço

  • tanque sempre chumbado na parede;
  • proteção nas janelas, principalmente em apartamentos;
  • cuidado com piso escorregadio, rodo ( o cabo pode cair na cabeça ou olhos da criança);
  • produtos de limpeza, lava roupas e sabão, devem ficar trancados em lugar alto;
Gostou quer saber mais? Acesse Criança Segura, e lá tem um link que você pode fazer um curso de Educação a Distancia

Em caso de emergência anote os telefones:

(SAMU: 192 e Corpo de Bombeiros: 193)

Para casos de intoxicação, existe o número do Disque-Intoxicação: 0800-722-6001. A ligação é gratuita e o usuário é atendido por uma das 36 unidades da Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica (Renaciat), presente em 19 estados.

CEATOX  São Paulo

Centro de Controle de Intoxicações de São PauloResponsável: Darciléa Alves do Amaral Hospital Municipal Dr. Artur Ribeiro de Saboya Av. Francisco de Paula Quintanilha Ribeiro, 860 4.º andar – Jabaquara CEP: 04330-020 – São Paulo/SP
Fone/Fax: (11) 5012/2399CIT Fone: (11) 5012-5311
Atendimento médico Fone: (11) 5011-5111
Ramais: 250 – Laboratório 251 – Atendimento Médico 252 – Administração 253 e 254
Atendimento: 0800 771 37 33
E-mail: smscci@prefeitura.sp.gov.br

Agradecemos a P&G e Ariel pelo convite, e ao Dr Anthony e a Dra Simone por essas  informações e esclarecimentos, e hoje dividimos com todas Mães Brasileiras
#CriancaSeguraAriel #ArielPods