Gravidez X Endometriose: É possível?

Gravidez X Endometriose: É possível?

Quem tem endometriose pode engravidar? A polêmica em volta do tema é grande, mas ela é a prova de que sim, é possível. Hoje com 36 anos, a jornalista Caroline Salazar, que sofre com a doença desde os 13 anos, espera sua primeira filha, a Bárbara.

Depois de muita dificuldade para fazer o diagnóstico da doença, Caroline começou a se dedicar ao tratamento e, por isso, ficou quase 2 anos desempregada. Então, em abril de 2010, lançou o Blog A Endometriose e Eu, e hoje é uma das ativistas mais importantes do país quando se trata deste assunto, ajudando mulheres de todo o mundo.

A gravidez

Ela conta que começou a fazer exames para saber qual a possibilidade que tinha de engravidar. “Eu descobri que estava com baixa ovulação e, como já tive cisto no ovário aos 15 anos, boa parte da perda foi nessa operação para tirar o cisto. Sem contar que aos 35 anos a ovulação da mulher cai naturalmente pela metade”, conta.

Por causa da endometriose e da idade, Caroline optou pela Fertilização in Vitro (FIV) “Quando estava no processo de indução, descobri que o meu ovário esquerdo estava paralisado. Eu tinha 6 folículos. Desses, ficaram 2 óvulos e só 1 virou embrião. Com a minha idade, o ideal seria implantar de 2 a 3. Por isso, eu tinha menos de 5% de chance de engravidar e deu certo!”. O que fez este sonho se tornar realidade, segundo ela, foi a preparação e o acompanhamento com o seu médico, Dr. Helio, que também é colunista do Blog.

Segundo ela, ninguém acreditava que pudesse dar certo com um único embrião, ainda mais depois da endometriose. “No dia 9 de julho deste ano, fiz o primeiro exame e deu positivo. Depois disso, ainda tive 3 sangramentos. Só depois desses 3 meses, com a certeza que estava fora da zona de risco, contei para minha família sobre a gravidez. Mantive segredo por causa da ansiedade”.

Feliz da vida, Caroline espera Bárbara para março de 2015. “Foi uma grande emoção saber que minha filha vai nascer em março, um mês tão importante pra mim. Sempre quis ter uma menina. Muitas mulheres com endometriose não querem ter filha mulher, mas quando você tem informação, não tem problema. Eu não penso nessa possibilidade, mas se ela tiver, vou ajudar como puder. Eu não tenho dores há 2 anos e meio e poderia não estar mais com o blog, mas eu acredito nessa causa, nessa missão de ajudar o próximo”, completa.

Em março, o mês internacional de conscientização sobre o tema, ela comandou a Marcha Mundial pela Conscientização da Endometriose no Brasil.

Eu mesma já abracei a causa e, por isso, faço questão de divulgar! A edição de 2015 será no dia 28 de março.

Texto do site Universo Jatobá

01

Foto: Thinkstock