Obesidade infantil e a participação dos pais

Obesidade infantil

“Você tem que terminar o que está no seu prato, ou não vai ter sobremesa.” é algo que muitos de nós provavelmente já ouvimos quando crianças, ou dissemos para nossas próprias crianças. Queremos que nossos filhos aprendam a não desperdiçar a comida. É compreensível, mas pode ter algumas consequências – não intencionais -, possivelmente duradouras e negativas.

A criança não precisa comer absolutamente tudo o que está no prato, ela precisa comer o que lhe basta para saciar a sua fome. Isso precisa mudar já! Minha mãe era dessas, e até hoje, não consigo deixar comida no prato, é mais forte que eu, e é péssimo! Fui criança obesa e não tenho boas lembranças dessas fase.

O número de crianças obesas ou com sobrepeso cresce a um ritmo alarmante. Quilinhos a mais colocam as crianças em risco!

Meu filho está obeso? Descubra se seu filho é uma criança obesa em um teste rápido AQUI.

Crianças com sobrepeso e obesas correm um maior risco de desenvolver problemas de saúde graves, tais como:

•Diabetes tipo 2;

•Pressão alta;

•Colesterol alto;

•Problemas ósseos e articulares;

•Asma;

•Padrões de sono inquieto ou desordenados;

•Doenças do fígado e da vesícula biliar;

•Depressão;

A obesidade infantil também afeta o emocional. Crianças com sobrepeso são freqüentemente provocadas e excluídas, o que pode levar a baixa autoestima, imagem corporal negativa e depressão. No entanto, com o apoio certo, encorajamento e firmeza, você pode ajudar seu filho a alcançar e manter um peso saudável.

Como é a criança obesa:

•Carente;

•Baixa autoestima;

•Excluída;

•Deprimida;

•Sofre Bullying;

•Agressiva;

•Desistiu de tentar;

•Como compulsivamente e come para “resolver” seus problemas;

•Escuta diariamente que é gorda;

•Não consegue comprar roupa, não cabe nos brinquedos e não passa na roleta;

•Acha que sua vida nunca vai mudar, vai ser ruim para sempre.

Foto: Getty Images

Obesidade infantil e a participação dos pais

 

Participação dos pais

Desde muito cedo, as crianças são muito boas em usar um “conjunto de comportamentos” para conseguir o que querem. Quase todos os pais na terra cederam a algum tipo de chantagem emocional de seu filho, e muitas vezes o assunto é comida!

Eu já cedi! Mas hoje #EuDigoNao

O Arthur (4 anos) adora batatas fritas, e fica quase impossível dizer-lhe NÃO! O garoto sabe pedir e se não cedo abre o berreiro. Mas, já aprendi a lidar com isso: olho nos olhos dele e explico que não posso dar o que ele pede naquele momento e negocio outro alimento. Se mesmo assim, recusar dizendo que não serve outro alimento, mantenho firme minha decisão e digo que batata frita não! Passado um tempo, ele aceita comer sem as batatas.

Lembre-se! TODOS os alimentos industrializados, como Farinhas refinadas, açúcares, pães, hambúrgueres,  e etc… E até mesmo os alimentos que trás na embalagem a palavra DIET ou 0% de gordura, é feito de açúcar! Não se deixem enganar.

Diga não!

Não se entregue. Você não estará sendo um pai ou uma mãe ruim por ser firme. Mesmo em público. Mesmo que seu filho faça uma birra em público. Estará agindo de forma indevida se você desistir, e dar-lhe algo que ele quer (mas não deveria ter), a fim de deixá-lo quieto. Se você fizer isso, estará ensinado ao seu filho que ele pode conseguir o que quiser fazendo birra. Não é assim que você vai ensinar seu filho a ser uma criança equilibrada. Deixe claro que com birra seu filho não vai conseguir o que quer.

Crianças aprendem com seus pais

Obesidade infantil e a participação dos pais maesbrasileiras.com.br

Vejo todos os dias pessoas falando mal de fast-food  … Mas, me responda, uma criança pequena vai sair de casa sozinha para comer fast-food? Não, né?  Fast-food contribui para a obesidade infantil porque os pais deixam! A alimentação saudável é uma habilidade aprendida que começa em casa. As crianças aprendem com seus pais: as crianças, muitas vezes, possuem uma dieta pobre em frutas e legumes porque seus pais não cozinham refeições saudáveis para elas.

E os sucos? Outro capitulo bem interessante… Algumas mães enchem o peito para dizer: meu filho só toma suco natural feito e casa! Daí você tem a oportunidade de experimentar um suco desses e percebe que o suco natural está cheio de açúcar! Como assim? Açúcar demais, não pode!!

O mesmo acontece com o sal, temos que ter cuidado com adição de sal não só na alimentação infantil, mas na mesa de toda a família.

Como evitar a obesidade infantil:

•Comer regularmente em todas as refeições, COMIDA DE VERDADE!;

•Não ingerir açúcar + gordura;

•Não comer muita quantidade / não obrigar a criança a comer sem fome;

•Não assistir a mais de 3h de TV por dia;

•Não comer enquanto assiste a TV;

•Praticar exercício;

•Desenvolver a criatividade e a brincadeira;

•Comer à mesa;

•Ter respeito à comida e aprender sobre alimentos;

•Dormir bem;

•Beber a quantidade certa de água;

•Só comer quando tem fome;

•Passar mais tempo de qualidade com os pais.

Atenção! Comida nunca deve ser oferecida como forma de manter crianças pequenas tranquilas.

Obesidade infantil é muito sério! 

Photo credit:

Getty Images 

 Getty Images 

 Getty Images