VBAC/PNAC – riscos de fazer parto normal após cesárea

Parto Normal – VBAC/PNAC – riscos de fazer parto normal após cesárea
Outro dia ao ler a linda história de parto de uma mãe imponderada não consegui conter as lágrimas de emoção…Corajosa e iluminada ela teve a filha em casa, com o auxílio do marido, o parto dela é o que chamam de “parto desassistido domiciliar”, parto normal após duas cesáreas.
Eu sempre sonhei em ter ao menos um parto normal, mas fiz duas cesáreas…Estou planejando uma nova gravidez para esse ano, e já ouvi da minha ginecologista a frase desanimadora:
_ Não será possível parto normal, pois você já fez duas cesáreas e é arriscado uma vez que não existe mais a elasticidade necessária no útero, devido a cicatriz do corte.
Segundo a grande maioria dos médicos PNAC (parto normal após cesárea) pode causar ruptura uterina. Mas, depois de ler o texto abaixo, entendi muita coisa, e vou lutar pelo meu direito de PARIR!
Parto Normal
VBAC/PNAC – riscos de fazer parto normal após cesárea
O papo esses dias tem sido sobre ter parto normal após cesárea (VBAC ou PNAC)
Sobre o parto normal após cesárea, estamos discutindo que os médicos em geral não fazem parto domiciliar, e nem as casas de parto. Para conseguir se livrar de uma cesárea nesse caso só mesmo encontrando um médico a favor do PNAC (parto normal após cesárea). Não adianta o médico aceitar fazer PNAC. Ele deve realmente acreditar que isso é possível e que os riscos de um PNAC são menores que de uma segunda cesariana.
Outra questão foi sobre até quando ficar em trabalho de parto (TP) em casa, para as mulheres que vão fazer PNAC. O correto é esperar ao máximo em casa, para quando chegar no hospital a criança já estar nascendo e não dar tempo de quererem induzir o parto. Doulas sugerem que isso seja feito assim que as contrações estiverem fortes e pouco espaçadas… O risco de ruptura uterina no parto normal após cesárea (PNAC) é muito pequeno, mas as chances aumentam muito quando o parto é induzido (utilização de Citotec).
Todas nós temos um risco pequeno de ter ruptura uterina durante o parto, mesmo as que não fizeram cesárea. O risco é ligeiramente maior quando foi feita uma cesárea anterior, principalmente se o tempo que passou após ela for curto. Nada que não permita a realização do parto normal. Fazer uma “cesárea preventiva” para evitar a ruptura uterina seria trocar um risco pelo outro. Quando se usa indução esse risco aumenta e a anestesia também prejudica pois inibe a dor da ruptura.
Imagens:Maegan hall photography