Primeira papinha: Como introduzir novos alimentos na dieta do bebê

Mamis, 
Decidi postar sobre as papinhas, porque na próxima semana vou começar a introduzir sucos, papinhas doces e depois as salgadas para o meu Arthur. Cheia de dúvidas (mesmo sendo mãe de terceira viagem) procurei informações e receitas com a ajuda do Sr. Google. Confesso que fiquei decepcionada com tantas receitas “nadaaver” que encontrei, sou o tipo de mãe que só apresenta, açucar (mesmo a mascavo) muito depois de um ano de idade… E também minhas crias nunca viram ou pegaram qualquer biscoitinho tipo “negresco”, “creamcraker” antes de um ano e meio no mínimo. Ufa! Óleos,  sejam eles do que forem também não entram nas minhas receitas de papinhas o legal é substituir por azeite ou manteiga (pequenas quantidades).
Bem, de tudo que lí, o artigo abaixo foi o que achei que valia a pena publicar aqui no blog, pois tem “tudoaver” com o que penso. Acho que é uma das formas mais corretas de fazer as coisas acontecerem sem muito estress tanto para a mamãe quanto para o bebê ou “bebéia” rss…
Não são receitas de papinhas, mas nos ensina como oferecer e quando oferecer os novos alimentos.
Texto retirado do site da revista CRESCER (tem vídeo super legal)
 
“Depois de seis meses (ou quatro) que o seu filho passou se alimentando apenas com o leite materno (ou LA), chegou a hora de ele conhecer novos sabores.
Junto com a novidade para ele chegam mil dúvidas para você. Quais alimentos posso oferecer primeiro? O que não pode faltar na papinha? Qual a melhor maneira de preparar os alimentos? Devo dar carne na primeira vez? Calma. Essa nova fase do desenvolvimento do seu filho exige paciência e tranquilidade.
Em etapas

O método sobre a introdução dos alimentos varia entre os especialistas. Alguns preferem começar com papinhas salgadas, feitas com apenas um legume, enquanto outros já sugerem uma sopinha mais elaborada. Mas, no geral, eles recomendam a seguinte sequência:
1 – Escolha um dia e ofereça um suco de laranja-lima no meio da manhã, entre uma mamada e outra – e não perca por nada o rostinho de espanto que o bebê vai fazer ao experimentar o novo sabor.
2 – Comece a oferecer as papinhas de frutas depois de três, quatro dias. Escolha um horário entre as mamadas na parte da tarde, e observe se o organismo da criança reage bem.
3 – Depois de uma semana, organize o horário das mamadas para oferecer a papinha salgada na hora do almoço. Continue com o suco e a papinha de frutas no lanche.
4 – Quando o bebê já estiver habituado é hora de dar a papinha salgada na hora do jantar também. E papinha de frutas como sobremesa nas duas refeições.
Quantidade ideal
O quanto a criança vai começar varia muito, mas apenas para você ter uma referência:
– dos 6 aos 9 meses: de quatro colheres (das de sopa) a uma xícara
– dos 10 aos 12 meses: uma xícara cheia
– de 1 a 3 anos: um prato infantil cheio
Água, sim!
Ela entra em cena junto com as papinhas. Como não há uma recomendação médica específica de quantidade, ofereça depois e entre as refeições, até a criança aprender a pedir. Sucos e chás sem açúcar também são bons, mas sem excesso, para não substituir completamente a água, que é considerada mais hidratante. Primeiro na mamadeira. Com o tempo, passe para o copinho.
Rotina é tudo
Estabelecer horário para as refeições é um dos princípios fundamentais para a alimentação saudável durante toda a vida. Depois que o bebê experimenta vários alimentos (só depois), é importante criar uma rotina nas refeições. O controle do peso corporal, a melhora do funcionamento intestinal e a prevenção de doenças crônicas são algumas vantagens que ela trará a seu filho.
Os horários ficam assim:
– Ao acordar: leite materno ou de fórmula
– Meio da manhã: suco de frutas
– Almoço: papinha salgada e fruta
– Lanche da tarde: papa de fruta e/ou leite
– Jantar: papinha salgada e fruta
– Ceia: leite materno ou de fórmula
Esses alimentos, só na hora certa…
Até o bebê completar 1 ano, atenção aos alimentos que podem provocar alergias.Veja a partir de quando ele pode comer os seguintes ingredientes:
QUEM
QUANDO
POR QUÊ?
Gema de ovo cozido A partir de 6 meses e meio Este prazo é o ideal porque a criança já está acostumada com a papinha.

Feijão A partir de 7 meses A fermentação e, conseqüentemente, os gases provocados por ele serão mais bem aceitos após o primeiro mês de introdução de alimentos.
Peixes e frutos do mar A partir de 11 meses Têm proteínas altamente alergênicas e, nessa época, o organismo está mais preparado para lidar com as reações adversas.
Clara de ovo A partir de 1 ano Possui em sua composição uma cadeia química de proteína de difícil digestão para o bebês antes de 1 ano.
Mel de abelha A partir de 1 ano Antes dessa idade a criança corre o risco de contrair botulismo, caso o mel esteja contaminado pela bactéria Clostridium botulinum, nociva apenas aos bebês que são mais sensíveis.

Mantenha distância

Os pediatras e nutricionistas fazem coro: até 1 ano de idade é preciso evitar doces, refrigerantes e frituras. Pesquisas científicas apontam que esses alimentos, além de não possuir valor nutricional, aumentam o risco de a criança ficar obesa no futuro. Prefira sobremesas à base de frutas do que as bolachas doces.

Outro tipo de alimento que aparece principalmente na dieta dos bebês considerados magrinhos são os “engrossantes”, como a farinha láctea e o amido de milho. Eles apenas agregam calorias e, muitas vezes, são usados precocemente.”

Minhas dicas: 
  • Use colher de silicone, a de metal pode incomodar o bebê.
  • Se possível cozinhe os alimentos no vapor
  • Amasse a passe os alimentos cozidos na peneira, evite liquidificador.
Por hora é só.
Se tiverem alguma dica ou receita para passar, fiquem a vontade a casa é nossa!
Beijinhos
Flavi