Programando o Futuro de Sua Criança

Talvez uma das grandes preocupações de um casal, logo que engravidam, é o planejamento financeiro para o filho. Mesmo aqueles que não tem reservas para si, sabem o quanto é importante guardarem dinheiro para o filho. Quer seja para os estudos, uma viagem ao exterior, muitos sonham com um carro aos 18 anos, outros ainda, pensando na ausência dos responsáveis.

Claro que é algo muito bom e saudável guardar dinheiro para o futuro. A criança tem a vida toda pela frente, e quando falamos de “guardar dinheiro”, nos referimos a investir, e neste caso, temos os juros compostos trabalhando a nosso favor. Como? Ah! Que saudade da professora de matemática do ensino médio, né?!?! (rsrsr) Não serei cruel ao tentar explicar o “milagre dos juros compostos”, mas que é algo magnífico quando trabalha a nosso favor, ah! Isso é!

money-256296_1280

Ao pensar em guardar dinheiro para o filho, tenha em mente que antes disso suas próprias devem estar equilibradas, portanto um orçamento pessoal e/ou um orçamento familiar são de suma importância para o sucesso financeiro. Saber exatamente de onde vem e para onde vai seu dinheiro é muito importante e saudável.

A regularidade é algo que deve ser observada. Não importa o quanto você destinou para esse fim, o importante é que seja um plano mensal, sem furos. Por isso insisto que manter as contas no azul não trará frustrações, fazendo com que sua motivação de guardar seja mantida.

Poupança não é investimento. Talvez você já tenha ouvido essa frase, e em um outro momento falaremos sobre isso. Mas adianto que a poupança paga menos que a inflação tira de você, portanto deixar dinheiro na poupança você está perdendo! Sim! Perdendo!  A poupança serve para salvar algum dinheiro para emergências, lá deve ser deixado apenas um pouco. O grande volume deve ser levado para outro investimento onde haja rendimentos reais, como os que vou citar abaixo.

piggy-bank-760993_1280

Tesouro Direto – Aqueles que já perceberam que poupança não é investimento, tem procurado o Tesouro Direto. São títulos públicos destinados a pessoas físicas com CPF, como eu e você, onde, através de uma corretora ou instituição bancária, poderá ter rendimentos reais, em um prazo determinado, conforme o título que você adquirir. Você pode sacar antes do tempo, mas deixar pelo tempo proposto no título é que garante a maior rentabilidade. O Tesouro Direto é considerado hoje um dos melhores investimentos de renda fixa, com menor risco. Tem títulos a partir de R$ 30,00.

Ações – Muita gente tem medo porque não conhece a bolsa de valores, mas o investimento em ações, especialmente a longo prazo, é um investimento em renda variável, com algum risco, mas de boa rentabilidade. Digo algum risco porque não há garantias fixas de rendimento, mas ao pensar em longo prazo, é possível correr esse “risco”, com menos desconforto. Investir em ações de boas empresas, especialmente que paguem dividendos é excelente. Dá pra começar a investir em ações com R$ 50,00.

Previdência Privada – É um título privado para aposentadoria suplementar. Tem um prazo de vencimento pra a retirada do “prêmio”. O beneficiário poderá escolher o valor que quer investir e de que maneira e quando irá usufruir do benefício, conforme o plano que adquirir. Há o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) que pode ser abatido do Imposto de Renda, porém incide imposto de todo o valor no momento do saque, e o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) não pode ser abatido do imposto de renda, porém incide imposto apenas dos rendimentos no momento do saque. Há cobrança de taxas de carregamento, de gestão e de saídas. Consulte o site da SUSEP para maiores informações.

CDB – Certificado de Depósito Bancário é um título emitido pelos bancos para que esses possam conseguir o dinheiro para seus próprios negócios, como se você emprestasse dinheiro ao banco. Há o pré fixado, onde os juros são negociados previamente com o banco. Pós fixado é de acordo com algum outro índice, geralmente o CDI (certificado de depósito interbancário), que é muito próximo a SELIC, portanto pode variar. Escolha um banco que ofereça melhor remuneração (não precisa ser correntista) e  jamais deixe valores acima de R$ 250 mil no mesmo banco (se o banco “quebrar” o fundo garantidor de crédito paga até esse valor para os investidores não saírem tão lesados.

glass-392608_1280

Citei apenas algumas formas de preparar o futuro financeiro de seu filho. Existem outras possibilidades, e aos poucos falaremos, de maneira detalhada, sobre elas. De qualquer forma, o mais importante é a regularidade.

Acompanhe de perto seus investimentos, porque nenhum investimento é garantido. E as situações financeiras mudam, mudando também a rentabilidade.