Pulseiras de Identificação ajudam os pais a localizarem os filhos que se perdem em lugares públicos

Pulseiras de Identificação ajudam os pais a localizarem os filhos que se perdem em lugares públicos no Rio de Janeiro

Olha que bacana, pulseiras de identificação são distribuídas gratuitamente em locais de maior circulação pública, no Rio de Janeiro e em outras cidades de grande circulação em época de férias.

Um dos passatempos que as crianças mais gostam é, sem dúvida, sair para brincar e passear na rua com os pais. Mas com a agitação e a energia dos pequenos, pode acontecer das crianças se perderem, ou por estarem distraídas e envolvidas numa brincadeira, ou por algo que chama atenção e a criança corre e se afasta dos responsáveis. Quem tem filhos sabe que é algo que pode acontecer a qualquer momento, principalmente em lugares públicos, e muito mais numa cidade com tantas opções de lazer ao ar livre, como é no Rio de Janeiro. Mas os pais têm uma possiblidade que ajuda bastante a localizar seus filhos: A utilização de pulseiras de identificação. Elas são distribuídas em locais onde há maior circulação pública – devido a criação do programa Pulseira Legal – e são colocadas no braço das crianças contendo informações como o nome dela e do responsável, endereço e telefone de contato

Além de campanhas informativas, uma das principais estratégias da PM e Corpo de Bombeiros é distribuir pulseiras de identificação que levam o nome da criança e contato dos pais – telefone eendereço. “A pulseira não previne que a criança se perca, mas ajuda que a ser encontrada. Mesmo assim, elas não diminuem a responsabilidade dos pais, que devem manter vigilância constante”, diz Santos.

Até agora foram 20 mil pulseiras e colares distribuídos. Até o final da temporada, serão 180 mil. “Tivemos de solicitar mais. No verão passado foram distribuídas 20 mil. Este ano muitos pais pediram, até as crianças pedem”, aponta o tenente.

Ao dificultar que a criança fique longe dos pais por muito tempo, o acessório acaba evitando exposição a alguns riscos. “Ela pode entrar na água sem estar sendo observada e se afogar. Pode também sair da praia, ir para as ruas e sofrer um atropelamento. Até os 10 anos a criança precisa de um adulto por perto”, comenta Alessandra Françóia, coordenadora do programa de formação de mobilizadores da ONG Criança Segura.

A ação visa aumentar a segurança de menores em locais de grande circulação e para pais e responsáveis é uma ótima iniciativa que traz tranquilidade para o momento de diversão da família.

Antônio Bindi, sócio da empresa PasseVIP, que fornece pulseiras de identificação para todo o país, diz que no último verão – antes da publicação da lei – já houve um aumento de 80% em relação a 2013 para este tipo de ação.

CRIAÇÃO DO PROGRAMA PULSEIRA LEGAL NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.
A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DECRETA:

Art. 1º Fica criado no âmbito do Estado do Rio de Janeiro o Programa “Pulseira Legal”.

Parágrafo único. Entende-se, para efeito do disposto no caput do artigo, “Pulseira Legal” como aquela utilizada por crianças com sua identificação e do respectivo responsável, contendo o nome completo de ambos, endereço e telefones de contato.

Art. 2º As pulseiras de identificação deverão ser fornecidas em Postos da orla do Estado, onde haja grande circulação de crianças, shoppings, áreas de lazer, parques e locais congêneres.

Art. 3º A Secretaria de Estado de Segurança em conjunto com as Prefeituras deverá implantar este Programa.

Art. 4º O Poder Executivo poderá firmar convênios com entidades públicas ou privadas para consecução desta lei.

Art. 5º Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Pulseiras de Identificação ajudam os pais a localizarem os filhos que se perdem em lugares públicos

Adorei a iniciativa e acredito que a prevenção é o melhor caminho.

Orientações:

– Nunca deixe as crianças sozinhas.

– Escreva nas pulseiras de identificação, que estão sendo distribuídas pela Polícia Militar e pelo Corpo de Bombeiros em todo Litoral, o nome da criança e do responsável, telefone para contato na praia e endereço.

– Converse com as crianças e combine um ponto de referência no caso de elas se perderem.

– Quando as crianças forem brincar no mar, faça marcações na areia, do local onde está (do guarda-sol ou da barraca, por exemplo) até o mar.

– Se perder a criança, procure deixar um familiar no local em que você estava. A criança vai tentar voltar a esse local e se todos saírem para procurá-la, o reencontro será dificultado.

– Em caso de desaparecimento, ligue para o 190 da PM ou procure um policial ou bombeiro.

– Se encontrar uma criança perdida, ligue para o 190 e leve-a para o posto da PM ou do Corpo de Bombeiros mais próximo.

– Converse com a criança que está perdida. Pergunte o nome e tente descobrir algumas informações úteis, como o nome dos pais ou responsáveis, onde ela se perdeu, o telefone (preferencialmente celular) dos responsáveis. Repasse todas essas informações para a autoridade que irá atender a ocorrência.

Fonte: Polícia Militar.