Qual é o seu jeito de ser mãe?

Qual é o seu jeito de ser mãe?

Quando era menina sonhei em ser mãe, não tinha ideia do quão complexo era a maternidade. Minha mãe sempre dizia: “quando você for mãe vai entender perfeitamente os cuidados e preocupações que sinto”, eu desejava ser uma mãe extraordinária para os meus filhos assim como ela é para mim.

Se antes entendia o lado da minha mãe, hoje vivo, sinto e tento passar “quase” tudo que aprendi com ela para os gêmeos. Não é fácil colocar em pratica, até porque vivemos em épocas diferentes, mudanças no comportamento humano num mundo globalizado e tecnológico.

Quando planejei a gravidez não imaginei que poderiam ser gêmeos e muito menos que seria um casal (Victor Leonardo e Rayssa Lohanne), fomos pegos de surpresa. E essa surpresa mexeu muito comigo, chorei muitas vezes por duvidar da minha capacidade de amar, proteger meus filhos, como seria amamentar, educar, ouvir dois bebês chorando ao mesmo tempo, as inseguranças e medos tomavam meus pensamentos em determinados momentos.

Nasceram prematuros e precisavam de atenção e cuidados especiais, com o passar dos dias eu sentia cada vez mais o amor aumentar dentro de mim e na mesma proporção crescia um jeito de mãe que é único e especial para cuidar de cada filho. Não consegui amamentar, mas a cada mamadeira preparada o carinho, amor e dedicação estavam presentes. E descobria aquele “jeito único” que minha mãe comentou, eu estava passando a cada banho, trocada de fralda, o cuidado com as roupas, a cada massagem, cada vez que interagia com eles, quando mantinha a calma mesmo quando os dois choravam ao mesmo tempo.

Qual é o seu jeito de ser mãe?

Primeira foto juntos, após a alta dos gêmeos da UTI Neo, foi uma alegria tremenda. (Cléo, Victor e Rayssa) 16 dias

Para cada fase deles o jeito de lidar no dia a dia foi mudando, ou melhor, fui me adequando aos acontecimentos de forma natural. Adepta a rotina desde os primeiros dias deles em casa, para mim hora para dormir, acordar, brincar, assistir e conhecer outras diversões foi e é algo fundamental para o desenvolvimento da criança.

Eu tento passar para eles valores que herdei dos meus pais, respeito, amor, honestidade em cada gesto que tenho em casa juntamente com meu esposo, creio que o melhor espelho para a criação do caráter esta no “seio da família”, no bom relacionamento entre pai e mãe, na forma de dialogar, expressar e tratar um ao outro.

Cada um tem sua individualidade e curiosidade, e como vivemos num momento onde a tecnologia domina, desde bebê já incentivei a leitura de livros, e são bem vindos em qualquer hora do dia, brinquedos e brincadeiras. Apresento o que eu acho legal, como por exemplo, o tablet uso muitas vezes a meu favor quando saímos para algum restaurante, festa ou viagem, em casa sempre controlo o tempo.

A insegurança que sentia no começo deu espaço a confiar no meu jeito, e saber que a maternidade não tem um manual de instrução. Sigo minha intuição e, acredito naquilo que nos faz bem, na educação com amor. Não sou perfeita, errar faz parte da vida e amadurecimento. Sou uma mãe real que vive as peripécias da maternidade, e confio no meu jeito. Valorizo a família, a união e harmonia.

Ser mãe de gêmeos é viver tudo em dobro, principalmente o jeito de amar e ser amada. #ConfieNoSeuJeito 

E você se baseia em algum exemplo ou jeito na educação do seu filho? 

Embaixadora Baby Dove

fotos: arquivo pessoal