Retirada das amígdalas

Retirada das amígdalas
Meses atrás Rayssa teve inflamação na garganta e olhando . Levamos ao médico e comentei sobre isso, então disse que muito breve as amígdala da Rayssinha serão retiradas.
Já é motivo pra mamãe aqui ficar preocupada, sei que mesmo que simples e pequena a cirurgia mas mexe muito com o coração e atiça mais ainda o instinto materno.
Então vamos saber um pouco mais sobre a retirada das amígdalas

As amígdalas palatinas e as vegetações adenoideanas (ou adenóides) são estruturas que fazem parte do sistema imunológico e estão presentes em todas as pessoas. Em condições normais, estas estruturas deveriam produzir anticorpos para ajudar na defesa contra os germes causadores de doença, especialmente na primeira infância.

Por que operar?
Em alguns casos, as amígdalas e a adenóide tornam-se um foco de doenças, seja por seu crescimento exagerado, seja por se tornarem alvo comum de processos infecciosos causados por bactérias.
Quando a freqüência e a gravidade destes problemas respiratórios e infecciosos são muito elevados, pode haver a indicação da remoção cirúrgica das amígdalas e da adenóide, visando á melhoria da qualidade de vida da criança e do adolescente.
Além disto, a cirurgia tem como objetivo restaurar a adequada respiração nasal e, assim, evitar os danos causados pela respiração bucal, como as alterações faciais e dentárias e o baixo ganho de peso.

Quando operar?


Hoje em dia os médicos acreditam que elas são uma parte importantíssima do sistema de defesa do corpo e devem ser preservadas sempre que possível. Os especialistas sugerem retirar as amígdalas só mesmo em situações em que existe um problema crônico como:

  • Sete ou mais amigdalites em um único ano
  • Cinco ou mais episódios por ano durante dois anos
  • Dificuldade para respirar devido ao inchaço das amígdalas e adenóides (tecido linfático na parte posterior do nariz)
  • Dificuldade para engolir
  • Presença de um tumor na garganta ou na passagem nasal
 
retirada das amígdalas

Como devo cuidar do meu filho em casa, depois da cirurgia?


Você vai precisar de paciência, porque provavelmente ele vai se sentir bem mal, com bastante dor de garganta e até de ouvido. Siga a orientação do médico sobre que tipo de remédio dar e de quanto em quanto tempo, sempre lembrando que aspirina não é recomendada para crianças, porque pode provocar uma doença perigosíssima chamada síndrome de Reye.

Ajude seu filho a ficar o mais confortável possível para dormir e beber líquidos, tomar sorvete ou comer alimentos pastosos e sopas mornas (gelatina também é uma boa opção). Evite refrigerantes, bebidas gasosas ou ácidas (como suco de laranja ou limonada), que irritam a garganta.

Ele não deverá fazer brincadeiras mais bruscas enquanto se recupera.
As crianças podem até se sentir melhor depois de alguns dias, mas a recuperação completa pode levar uma semana ou mais. Durante esse período, procure mantê-lo longe de pessoas doentes, porque ele estará mais suscetível a infecções.

Fique atenta a sinais de complicações como:

  • sangramento
  • desidratação (quanto mais soro a criança tomar na veia no hospital, melhor)
  • vômitos frequentes
  • febre de mais de 38,5 graus por mais de 24 horas (uma febre leve depois da cirurgia é normal)
  • dificuldade de respirar
  • muita dor de ouvido
 
Ligue para o médico caso seu filho tenha qualquer dos sintomas acima.

 


Tenha em mente que quanto melhor ele se alimentar e estiver bem hidratado, mais rápida será a recuperação. Caso ele não queira comer ou beber nada porque a garganta dói demais, consulte o médico sobre outros analgésicos e tente oferecer pelo menos um pouco de líquidos, mesmo que de colherinha, de cinco em cinco minutos.

Umidificadores no quarto ajudam a respirar melhor, mas certifique-se que o aparelho esteja sempre bem limpo, para não espalhar micróbios pelo ar. Outra opção é usar uma toalha umedecida para manter o ambiente mais agradável na hora de dormir.

Fonte Baby Center, Otolab
Agora preciso saber  se alguma mamãe já presenciou esse quadro? Como foi a recuperação do pequeno?  Conto seu comentário…
Beijos
Cléo