Três anos…

É. São três anos.
Três anos de vida a dois. Eu, que disse que nunca mais casaria.
Três anos de sonhos, de planos, de projetos. E de realidade.
Três anos de beijos, abraços, carinhos, sexo, amor, discussões, brigas e reconciliações.
Três anos de tudo ao mesmo tempo agora…
Três anos de cama, mesa e banho.
Três anos de um amor que não se cansa de crescer aqui dentro, a despeito de todo o resto.
Três anos de um amor que, quando eu estou preste a perder a esperança ou desistir, sempre me chama de volta.
Três anos de um amor que me fez maior, mais forte, melhor, desde o primeiro dia.
Três anos de um amor que não cansa de renascer e reinventar-se.
Três anos de um amor que me ensina, que me aconchega, que me dá sentido.
Três anos sem medo de pertencer. Sem medo de amar demais.
Três anos de uma grande e sincera amizade, sem isso o amor não existiria.
É isso, amor.
Você ainda é. Ainda e sempre. E cada vez mais.
Apenas e sempre o homem que eu nasci para amar.
Parabéns para nós, meu Bonito.