Você entende suas contas?

Imagine que você acabou de receber uma conta a pagar, seja ela de luz ou a fatura do cartão de crédito. Você tem o dinheiro certinho, nunca atrasou nenhum pagamento, mas a conta é tão confusa que você descobre que acabou pagando algo que não devia.

Porque a conta não vem no valor combinado na propaganda, ou quando você fechou o contrato? O pior de tudo é que o valor é sempre maior. Um problema comum é vermos em faturas valores que não fazemos a menor ideia do que seja, além de taxas e mais taxas.

Pode parecer bobagem, mas quem nunca se deparou com contas e não entendeu nada? Erros por contas “indecifráveis” são bastante comuns.

calculator-385506_1280

Entre os vários itens que colaboram para confundir o consumidor, são as informações imprecisas. Desde descontos ou benefícios desconhecidos até cobranças retroativas por serviços usados há muitos meses.

Outro problema comum é a falta de esclarecimento após o reajuste de tarifas, a desorganização dos dados no papel, a conta resumida, sem detalhamento.

Quando isso acontece, muita gente vê um número mais alto e acaba deixando pra lá, porque não entendeu mas conhece muito bem a burocracia para ligar pro atendimento e requerer seus direitos. Quando os valores não são tão expressivos, é isso que acontece, muita gente deixa pra lá mesmo!

Mesmo que o valor seja pequeno, jamais deixe de reclamar seus direitos, afinal a justiça está sempre ao lado do consumidor, e mesmo o pouco, investido adequadamente, pode trazer grandes benefícios e conquistas. O dinheiro é seu, foi suado, lute  por ele.

Atente-se a data do vencimento – Deixar para pagar contas no dia seguinte é fatal. Agende seus pagamentos, pague com antecedência, mas jamais deixe para depois. Tente transferir a data de vencimento, caso não seja adequada a suas necessidades, negocie desconto no caso de pagamento antecipado, mas jamais pague atrasado. A incidência de juros e multa é altíssima.

Pagamento mínimo – É o menor valor permitido para o pagamento daquela fatura. mas não há a menor vantagem em realizar esse tipo de procedimento. Os juros e multa incidente neste caso, são abusivos. A conta vira uma bola de neve e pode se tornar muito difícil liquidar a dívida. Aqui também começam a aparecer números que são bem difíceis de compreender, transformando sua fatura em uma “conta indecifrável”.

Parcelamento de Fatura – Caso haja um imprevisto e você não tenha o dinheiro todo para pagar, não se intimide. Ligue para a operadora de cartão ou banco e solicite um parcelamento. Essa opção também não é das melhores, mas ao menos a fatura não ficará subindo a valores estratosféricos e difíceis de entender. Aqui também há uma cobrança de juros abusiva.

Demonstrativo de despesas – Te mostra exatamente o que e onde gastou. O problema é que nem sempre vem o nome do estabelecimento, e sim a razão social cadastrada na operadora de cartão. No histórico também vem a cobrança dos juros, anuidade, multas, IOF.

Encargos Financeiros – São a taxa de juros e multa cobrados caso você não pague a fatura, atrase o pagamento ou pague parcialmente o valor.

Infelizmente não há padronização das faturas, mas cada operadora de celular, energia elétrica ou telefone fixo tem um tipo de fatura diferente, mas geralmente nos respectivos sites, há a explicação detalhada da fatura, caso haja dúvidas.

Não faça pagamentos sem entender o que está acontecendo. Se pintar alguma dúvida, entre no site da instituição, se mesmo assim não for o suficiente, entre em contato telefônico e solicite esclarecimento.