Minha filha não nasceu para dias de chuva

Minha filha não nasceu para dias de chuva

Minha filha não nasceu
para dias de chuva.
Ela se irrita com a falta do que fazer,

de viver em roda, revisar
as gavetas e ler livros.
Ela cansa de olhar a janela,

de olhar a porta,
de olhar a conversa,
de simplesmente olhar.

O sol é sua mecha colorida.
Em dias de chuva, minha filha
provoca o irmão, a mãe, a avó, o cachorro.

Em dias de chuva,
não escapará das obrigações
de arrumar a cama e o armário.

Em dias de chuva,
minha filha não suporta a casa
do tamanho do seu quarto.

 

Poema inédito
Fabrício Carpinejar