Amigos de Fraldas – Convidada especial: Tatiane Rosa Domingues

Amigos de Fraldas – Quando engravidei, ouvi muitas dicas sobre como fazer com que meu cachorro pelo menos tratasse bem o novo integrante de nossa casa – o Luiz Felipe.

Eu segui algumas que me pareceram boas, mas que hoje percebo que seriam todas muito inúteis se o meu cachorro não tivesse índole para a bondade. Eu até tratei o pobre cão com um pouquinho menos de afeto durante a gravidez para que ele se acostumasse a dividir carinhos com o bebê que estava por vir (umas das dicas recebidas…).
Bom, chegando em casa pós nascimento (sem o Luiz Felipe no colo, pois esta foi outra dica para não causar ciúmes) percebi que o Caco não teria menos carinho a partir daquele momento, mas teria quase nenhum carinho, pois o bebê nos toma 110% do tempo.
Mesmo assim, Caco me avisava (e avisa até hoje) quando o Luiz Felipe está mal. Eu já sei que, se o Caco não fica em pânico quando o Luiz Felipe chora é porque o sofrimento não é tão insuportável. Quando o Luiz Felipe chora e o Caco segue dormindo, percebo que é manha e que uma brincadeira ou um carinho já resolve o problema do meu amor.

 

Amigos de Fraldas

Amigos de Fraldas

Agora o Luiz Felipe e o Caco se tornaram mais do que dois integrantes da família, passaram a ser amigos. O Caco ensinou o Luiz Felipe a dividir sua comida e agora não tem refeição que ele faça e que não ofereça ao Caco um pedaço de seu banquete. Luiz Felipe também joga a bolinha para o Caco e o “vice versa” também ocorre algumas vezes.
Ver os dois nos ensina que a arte de fazer amigos é baseada na paciência, considerando que conhecer alguém leva tempo. Porém, com enormes doses de respeito mútuo, esta “coisa” chamada amizade pode chegar longe.
Amigos de Fraldas

Amigos de Fraldas

Ficamos felizes de ver que o pequenino de fralda, com a ajuda pouco silenciosa mas muito pacienciosa do Caco, já percebe que há outros seres no mundo e que esses “outros” também têm necessidades.
Com todas as dificuldades que acompanham a responsabilidade de se ter um cãozinho, concluímos que ainda bem que o temos…
Há-braços!!!
Tatiane escreve no blog “Amigos de Fraldas”
Leia também: