POBRE NA USP? NEM TANTO

O IMBECILIZADO
Há mais de 20 dias, desde que houve a invasão da reitoria da USP, o imbecilizado Reinaldo Azevedo está defendo Serra, o PSDB, e crucificando os alunos da USP. Com seu blog hospedado na Veja (só podia), ele chama os alunos da USP de “Remelentos e Mafaldinhas”. Além dos alunos da USP estarem lutando pela autonomia da universidade, que Serra violou com seu decreto, e pelo não contingenciamento das verbas para a educação, eles pedem também a ampliação do Crusp. A jornalista Laura Capriglione, da Folha de São Paulo, visitou o alojamento dos alunos da USP, que fica embaixo da arquibancada do estádio da universidade, e relata as condições de moradia desses alunos. A foto dá uma idéia do que a jornalista presenciou. Ao tratar trata os alunos da USP que vivem no Crusp de “Remelentos e Mafaldinhas”, o imbecilizado do Reinaldo Azevedo mostra todo o seu preconceito contra os mais pobres, contra as classes menos abastadas, à maneira de seu líder Serra, que construiu rampa antimendigos em sua rápida passagem pela prefeitura de SP. O imbecilizado do Reinaldo Azevedo não entende que os pais desses alunos não tiveram o privilégio de, como ele, receber os recursos da Nossa Caixa desviados por Alckmin para manter um site e uma revista que faziam uma sórdida publicidade do governo do PSDB. Esse imbecilizado não entende que esses alunos são pobres, não podem pagar uma moradia decente, um flat nos Jardins, mas são pessoas honestas, trabalhadoras, gente que estudou de verdade para ingressar na USP, que não meteu a mão grande no erário do governo, em dinheiro da Nossa Caixa, para se locupletarem do que não lhes pertence. O imbecilizado pode pagar estudo e moradia decente para seus filhos porque parte do dinheiro que foi suprimido da educação de todos, por Alckmin e Serra, foi parar no seu bolso, engordou a sua conta bancária.

Jussara Seixas /27 Maio 2007

  • POR UM NOVO BRASIL
  • Eu li o texto acima “O IMBECILIZADO” e devo dizer que concordo com quase tudo, os alunos têm sim o direito e a razão de lutar contra o decreto que Serra criou, mas não concordo quando Jussara diz que os alunos são “pobres”. A maioria dos alunos da USP são de classe média alta, os “pobres” são aqueles que vem de outras regiões do país e dependem dos alojamentos. Mas a grande maioria são “filhinhos de papai” sim. Pois quem estuda na USP não tem tempo de trabalhar. Outra dificuldade que os verdadeiros pobres enfrentam é para passar no vestibular e conseguir uma vaga naquela instituição, porque por serem menos favorecidos e dependerem do ensino público que é uma vergonha no nosso país, são facilmente “vencidos” pelos que tiveram oportunidade de estudar em escolas particulares, e são esses que conseguem estudar na USP. Os pobres na verdade, estão trabalhando e tentando pagar a faculdade, com muitas dificuldades. Porque USP para esses, é um sonho quase impossível de alcançar.